segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Revista História Catarina

Artigo : Cronistas e Viajantes em Santa Catarina - uma visita ao Planalto Catarinense - n.88


segunda-feira, 5 de junho de 2017

Revista História Catarina

Tempos da Memória - edição comemorativa aos 250 de Lages/Santa Catarina - n.79/ 2016.Um artigo sobre uma época inesquecível !


 Cronistas e Viajantes em Santa Catarina - n. 81 - 2017 - Relatos de viajantes de países distantes,que corajosamente adentravam lugares remotos  do Brasil do século XVII e XVIII.



sexta-feira, 24 de março de 2017

Visita à Escola Santa Catarina










OUTONO

Outono! Que bom que você voltou....
Com seu jeito carinhoso
Afagando minha pele
Refrescando minhas noites
Pintando folhas por aí
Só pra alegrar meu olhar!
Que bom que você voltou...
Abrindo os baús do tempo
Misturando saudades...
Fotografando cenários
De tempos há tanto,idos
Viajando com você!!

Lembranças ,folhas viradas
Compondo histórias vividas
Cumprindo estações da vida!
Que bom que você voltou!
Que bom que você voltou!

quarta-feira, 15 de março de 2017

1º Festival Literário Internacional Catarinense - FLIC

Foi um sucesso o 1º Festival Literário Internacional Catarinense -FLIC de 12 a 16 de Outubro de 2016.
Com uma vasta programação cultural, literaria, musical, ballet,contação de histórias ,

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

1º Festival Literário Internacional Catarinense





Aconteceu nos dias 16 a  20 de outubro p.p. o 1º FLIC na cidade Pedra Branca ,Palhoça SC.
Maravilhosa iniciativa que brindou Santa Catarina, com um belíssimo espetáculo cultural muito bem organizado.Tive o privilegio de participar com uma apresentação intitulada : Literatura e Cinema: o livro e sua imagem, tendo como objetivo demonstrar as peculiaridades de cada discurso : escrita e imagem cinematográfica. Adaptação de livros para video e cinema.




quinta-feira, 14 de julho de 2016

Aventuras na Ilha da Magia


Curta metragem baseado no livro Aventuras na Ilha da Magia (de minha autoria) criado pelo Belli Studio de Blumenau, ( Rubens e Aline Belli ) premiado pela Fundação Catarinense de Cultura em 2002.


quarta-feira, 13 de julho de 2016

INTROITO

Mosaico
quadro que componho
Fragmentos poliformes do meu ser
pinçados no percurso

entre os enleios do mundo

e a lucidez

milimétrica do tempo que passa

tão depressa.

Mosaico
incompleto até que a vida se complete
e o último pedaço colorido
ou negro, se acomode
justaposição multicolorida desta busca

Mosaico
Na limítrofe aduana do infinito
uma forma irregular
um pedacinho, um mínimo pedaço
talvez componha o retrato
abstrato do meu ser!

OPCIONAL


Na busca de algo
outro tanto se perde
Malabaristas da sorte
tudo buscamos reter...

Dorida escolha
Entre o que vai  e o que vem
Naquele um pedaço de pele, de sangue
de essência.
Neste o alvoroço do estranho
O encolher-se de medo
O passo em dois tempos...

Sempre algo se perde
na troca, na busca, no caminho.
nem o retorno devolve
o perdido, o passado – o que se trocou!

DA MINHA JANELA

Daqui o horizonte é verde e sinuoso
O horizonte, daqui é benevolente
e próximo.
Passivo, oferece o dorso desnudo
à miséria que cresce e sobe
implacável.
Invasores em formação
Destroçam a imponência verde
secular...
Se o morro sangrasse , na invasão
a cidade seria vermelha .( mais ainda de vergonha)
Se de cada árvore arrancada
no silêncio da indiferença
ecoasse um grito
só assim, talvez...
o horizonte daqui, seria ainda
Natureza !

EVOLUIR

O que vale na luta não é a vitória final
Mas o aprendizado dos meios
O reconhecimento dos obstáculos
O discernimento das escolhas
A evolução das possibilidades.
O que vale na luta não é submeter o vencido
Mas submeter-se o vencedor
À caminhada lenta, progressiva, paciente.
Reconhecer-se aprendiz
E na apreensão –  Viver!
DESTERRO DO SOL

Não me importa
O negrume das nuvens
Nos ombros do Tabuleiro
Sugerem tristezas
Massa em trincheira
Resistem ao vento nas fronteiras
Da Ilha.
Não me ameaçam
Descendo, descendo
Camuflando – se ao mar
São belas, são cálidas
São ninhos , são nimbos
Refletem saudades
Resguardos, silêncios
Eternidades.
São nuvens – promessas
De chuva caindo
De braços – resguardos
Momentos de paz
Nuvens no Tabuleiro
Enrosco- me em casa
Em ninho, em nimbo
Me penso , me busco
Descanso.
CAMINHADA


Terá que ser construída
Letra a letra
Palavra a palavra
Linha a linha
Alinhavando
Passo a passo
O texto no contexto
Do tempo...

Poesia

POESIA

Você me foge
Etérea
Como a vida
Quando abandona o corpo
Ou como a fonte cristalina
Foge,despencando das encostas
Você zomba de mim
Nuvem
Que se evola pelo céu
Você me asfixia
Fumaça
Fugitiva do que queima
Você que na janela
Embaça
A visão que é lá de fora
Você que é
Ânsia
Queima,zomba,asfixia
Você não se aprisiona
É Poesia!